Google+ Followers

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Um grito
Por muitas vezes me encontrei em linhas escritas por outras pessoas, e me fizeram bem acho que é sempre assim, mais aos 27 anos ouvir sermão da mãe falando que você esta errada em tudo que faz me faz voltar para os 15 anos, assim o tempo vai se passando diante dos meus olhos, alguns fatos eu sei outros nem tanto. Fico ali paralisada todos os dias olhando pro nada e tentando achar o bom de ainda estar viva, às vezes acho que futuramente se aguentar e viver vou ser feliz com as minhas velha mania de antiguidade que é no mínimo “tosco” de mais para chamar atenção, me vejo com um mundo de palavras onde tudo que eu sinto se torna nada por que na verdade não sei passar isso tudo pro papel, e se tento acaba saindo como se fosse uma queixa da vida no mínimo “chato”  mais se tento ser “feliz” acabo me magoando e isso eu sei fazer, me magoar...então acabo por voltar a vida chata de sempre, onde eu acordo e só vejo a luminosidade do sol, as vezes chove outras não, quando saio quero voltar correndo pra casa, quando percebo que preciso sair, fico meses em casa me achando péssima por isso, esperando sei lá alguém legal me ligar e dizer, e ai bora sair? Outrora mudei de ideias e estou jogada de novo ao jardim pensando em sei lá no que, que nada sei fazer, não trabalho, não saio pras baladas quase não tenho amigos perto de mim e se tenho são todos longe, pois eu sou mulher e homens não tem amizades com mulheres, sei que não da certo é inconveniente tudo que se diz tem que ser visado não pode nada ter duplo sentido por que se for assim, não é amigo.
Meu único refugio agora esta sendo você é você que esta pensando por mim e escrevendo, mais se porte bem, não quero dar mal impressão de mim tenho namorado, cadê ele? Em Portugal... Longe né bem a minha cara mesmo, mais dizia o que mesmo? Ah que eu sou assim mesmo “sozinha” às vezes eu gosto e às vezes quero me afogar, ou isso é muito trágico.
Queria ser escritora, mais as palavras certas me faltam até isso, falta de tudo queria ser que nem o Picasso já tentei incansavelmente pintar mais as tintas as telas não isso também não é para mim, já tentei ser cantora nossa a minha mãe manda trezentas vezes melhor... Parti pra faculdade, mais era tarde de mais já tinha perdido parte da minha audição ai mixo fazer o que.
Voltei depressa pra menina acanhada e mais sem direção que eu conheço, sem animo pra voltar por que se voltar irei encontrar o mesmo e o mesmo eu não sei fazer a garota agora só tem a carinha de garota mais lá dentro esta tudo estragado coração e alma, a pilates lá dentro que a segura e nada mais, na verdade eu tenho vergonha de contar que voltei à estaca “0” eu sempre faço isso, sempre previsível de mais com medo hoje de chegar perto de muitas pessoas e dizer que não consegui de novo e que desta vez eu não vou mais tentar, sabe a palavra “chega” eu grito mais ninguém me escuta.
Christianne Ht.


Um comentário: