Google+ Followers

quinta-feira, 30 de agosto de 2012



Quis me definir 
Mais não pude..


Ó céus que vida ruim
Nem a ti posso ter pros meus prantos

Ei de derrama-los em vão

Nas mãos sujas havia flores secas, 
restinho que a arvore não quis mais.
Embora me encontrasse esmorecida
Amava aquela tarde, e sorria.

Na cabeça pensamentos estrondosos 
de que alguém eu tinha roubado(...) 

Seu coração agora dilacerava 
pois não sabia o que acabava de fazer. 


Amar?
Amar te, sabendo amar e não te ter
é a mesma coisa que me afogar
e não ver, e não perceber

Parecer algo que não sou, me torna 
fútil sem algum valor.

Se o medo gritasse ia dizer agora
O que sofro em sentir.


Autor: Christianne ht

Nenhum comentário:

Postar um comentário